Polícia Civil realiza operação contra envolvidos em homicídio de integrante de quadrilha que explora jogos de azar

ASCOM – Assessoria de Comunicação
11/06/2024 07h56 – Atualizado em 11/06/2024 7h56

Policiais civis da Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) realizam, nesta terça-feira (11/06), uma operação contra envolvidos no homicídio de um integrante de uma organização criminosa que explora jogos de azar. O objetivo é cumprir três mandados de prisão preventiva e sete de busca e apreensão. Dois homens foram capturados e um terceiro alvo já havia sido preso pela equipe da DHC em 2023. O mandado contra ele foi cumprido no sistema penitenciário.

Segundo as investigações, os três participaram do homicídio de Fernando Marcos Ferreira Ribeiro, ocorrido na Tijuca, Zona Norte do Rio, em abril do ano passado. Um deles seria o segundo na hierarquia da organização criminosa, tendo como responsabilidade principal a gestão operacional, logística e financeira das máquinas caça-níqueis instaladas nas zonas Sul, Norte e Centro da cidade.

A vítima era integrante do grupo liderado, à época, pelo contraventor Bernardo Bello, e gerenciava pontos de jogo do bicho em bairros da Zona Sul. Ele foi brutalmente executado por criminosos que desembarcaram de um veículo, sendo atingido por diversos disparos de fuzil, principalmente na região da cabeça.

As investigações demonstraram que a morte da vítima se deu no contexto de disputas por pontos da contravenção, sendo executada como forma de dissuadir todos aqueles que resistissem às investidas do grupo rival. Investigações dão conta de que o mesmo grupo criminoso foi o responsável pela tentativa de homicídio que teve como alvo o também contraventor Luiz Cabral Waddington Neto.

No dia seguinte ao crime, após o grupo de Bernardo Bello ter sido atacado por duas vezes, Luiz Cabral liderou uma contra-ofensiva, no Boulevard 28 de Setembro, esquina com a Rua Souza Franco, em Vila Isabel. Por conta desse ataque, dois dos presos nesta terça foram atingidos e precisaram ser socorridos.

O confronto ocorreu quando contraventores do grupo rival ao de Bernardo Bello trocavam máquinas caça-níqueis no mesmo local em que Antônio Gaspazzianne Mesquita Chaves foi executado neste domingo (09/06). As investigações iniciais apontam que a mesma organização criminosa seja a responsável por esse homicídio.

As investigações seguem para identificar e prender os demais responsáveis pelo crime.

Ajude a manter online o Litoral Hoje fazendo uma pequena doação por PIX. Utilize a chave PIX CNPJ 45.315.952/0001-32. Ou deposite na conta: Banco Original – 212 – Agência 0001 – Conta 7296983-0. Agradecemos a sua colaboração.

Fonte: Polícia Civil de Rio de Janeiro

Você pode gostar também de