Santos apresenta unidade móvel a doadoras de leite humano

Em comemoração ao Dia Mundial de Doação de Leite Humano (19 de abril), profissionais de saúde, mães que ordenham leite para os seus bebês prematuros internados e doadoras do Banco de Leite Keiko Miyasaki Teruya, do Hospital Guilherme Álvaro (HGA), do governo estadual, conheceram a unidade móvel de coleta de leite humano da Prefeitura de Santos nesta segunda-feira (20). A apresentação do veículo aconteceu durante o encontro promovido com as mamães pela equipe que atua no banco de leite, o único do Município.

Nas próximas semanas, as integrantes dos grupos de gestantes e de aleitamento materno das policlínicas santistas também conhecerão a unidade móvel. Em um primeiro momento, o intuito é de incentivar a doação do leite materno e explicar sobre a importância desse gesto.

DOAÇÃO

Atualmente, o banco de leite do HGA possui 21 doadoras cadastradas, das quais 14 são moradoras de Santos. É importante frisar que há critérios para doação (veja abaixo) e que o leite a ser oferecido para um bebê considera o peso e a idade gestacional da criança, além da quantidade de gordura, calorias e acidez do alimento – que são avaliados pela equipe técnica que trabalha no banco de leite.

Conforme explica a pediatra Teresa Maria Isaac Nishimoto, um bebê prematuro pode receber o leite da própria mãe ou, no caso dessa impossibilidade, o de uma doadora com bebê da mesma idade, pois as características do leite materno mudam com o passar do tempo, de acordo com os nutrientes de que o bebê necessita em cada fase de seu início de vida. Importante ressaltar que não existe leite fraco e que a mãe produz o alimento de acordo com as necessidades que seu filho apresenta.

A mãe de um prematuro, por exemplo, produz um leite mais rico em anticorpos que a mãe de um bebê que nasceu no tempo certo. Em compensação, o leite produzido pela mãe do prematuro possui menos sódio, porque o rim dele ainda não está completamente formado.

Por isso, é de extrema importância ter doadoras em quantidade para suprir as necessidades do banco de leite e que estejam em diferentes estágios de amamentação de seus bebês, que produzam leite com diferentes características.

“O leite materno é de extrema importância para o bebê prematuro, pois o prognóstico é de uma recuperação é mais rápida, com menos tempo de UTI e, portanto, menos risco de contrair infecções, além de mais chances de se desenvolver melhor”, explica a também pediatra Roberta Marques Greghi Hernandez.

QUEM PODE E COMO DOAR O LEITE

Qualquer mulher, que esteja em franca produção e oferta de leite materno ao seu bebê de até 1 ano de vida e que resida em uma das nove cidades da Baixada Santista pode ser doadora. É necessário cadastrar-se no banco de leite do HGA (Rua Oswaldo Cruz, 197 – Boqueirão). O atendimento é realizado de segunda a sexta-feira, das 8h às 11h e das 13h às 17h.

Ao manifestar o interesse em tornar-se doadora, a mulher preenche um cadastro e passa por uma coleta de sangue para exames laboratoriais, cujos resultados são conhecidos em dois dias. No mesmo momento do cadastro, a potencial doadora recebe treinamento com as técnicas necessárias para realizar a ordenha de forma manual, além de kit para a retirada e armazenamento do leite em casa.

Após a avaliação dos resultados dos exames laboratoriais e não havendo impedimentos para a doação, a equipe do HGA entra em contato para agendar o dia e horário da retirada do leite na casa da doadora. Ao chegar ao banco de leite, o alimento passa por um processo de pasteurização, que retira todos os agentes infecciosos, tornando-o propício para o consumo de qualquer bebê.

Além de receber doações, o Banco de Leite realiza o acolhimento e tira as dúvidas das mulheres que estão com dificuldades em amamentar.

DOAÇÃO DE FRASCOS

O banco de leite aceita doação de frascos que são utilizados no armazenamento e pasteurização do leite: são de vidro com tampa plástica, como os de café solúvel. A doação pode ser realizada diretamente no banco de leite, durante o horário de funcionamento.

IMPORTÂNCIA DO LEITE MATERNO

O leite materno é o alimento mais completo para o bebê. Existem alguns nutrientes que não são possíveis reproduzir em laboratório e, portanto, não estão contidos nas fórmulas, como os anticorpos e as células de defesa.

Somente o leite materno é capaz de proteger os bebês contra infecções (diarreias, pneumonias, meningites, infecções de ouvido, bronquites e outras), de prevenir alergias (de intestino, pele, nariz e pulmão), doenças crônicas no futuro (diabetes, obesidade, hipertensão arterial e doenças do coração) e até diminuir a chance de desenvolver alguns tipos de câncer, como leucemias.

O Ministério da Saúde recomenda o aleitamento exclusivo até o 6º mês de vida do bebê, quando outros alimentos podem ser introduzidos. Recomenda-se a oferta do leite materno até os 2 anos de idade.

 

Esta iniciativa contempla o item 3 dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU: Saúde de Qualidade. Conheça os outros itens dos ODS

Ajude a manter online o Litoral Hoje fazendo uma pequena doação por PIX. Utilize a chave PIX CNPJ 45.315.952/0001-32. Ou deposite na conta: Banco Original – 212 – Agência 0001 – Conta 7296983-0. Agradecemos a sua colaboração.

Fonte: Prefeitura de Santos


Você pode gostar também de