PSOL quer cassação do mandato de Eduardo Bolsonaro. Entenda

O deputado Ivan Valente (PSOL-SP) afirmou nesta segunda-feira (4), que vai entrar, junto com a bancada do PSOL, com um pedido de cassação do mandato do deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP) no Conselho de Ética da Câmara, por um tuíte direcionado à jornalista Miriam Leitão.

Neste domingo (3), o deputado rebateu uma crítica que a jornalista fez ao presidente Jair Bolsonaro. Por meio das redes sociais, Miriam compartilhou o link de sua coluna do jornal O Globo e afirmou que “Bolsonaro é inimigo confesso da democracia”.

O filho do presidente, por sua vez, repostou a publicação e escreveu “Ainda com pena da cobra”. O deputado não entrou em detalhes, mas internautas prontamente relacionaram o comentário ao período do regime militar, durante o qual a jornalista foi capturada.

Segundo relatos de Miriam, ela teve de ficar nua em frente a dez soldados e três agentes de repressão e passar horas trancada em uma sala com uma jiboia.

Políticos como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o senador Randolfe Rodrigues (Rede), o senador Alessandro Vieira (PSDB), a deputada Natália Bonavides (PT-RN) e o presidente do Novo, Eduardo Ribeiro, condenaram a publicação de Eduardo Bolsonaro.

– É inadmissível a agressão à jornalista Miriam Leitão, a apologia à tortura e à violência contra mulher. Basta de impunidade – disse o psolista Valente, autor do pedido de cassação.

No início da tarde desta segunda-feira, Eduardo Bolsonaro não falou diretamente sobre as críticas que vem recebendo, mas repostou uma publicação que aponta o silencio da esquerda sobre as recentes falas de Lula sobre a médica Nise Yamaguchi.

– A depender do grupo que ela [Miriam] faz parte o Brasil seria uma ditadura chamada de democracia. Vai entender…- escreveu o parlamentar.


Fonte: Pleno.News


Você pode gostar também de