Advogado de Mauro Cid diz que foi erro da PF não perguntar sobre reunião de Bolsonaro

O advogado Cezar Bittencourt, responsável pela defesa do tenente-coronel Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro, disse que a Polícia Federal deveria ter perguntado a seu cliente sobre o vídeo da reunião de 5 de julho de 2022, que serviu de base à Operação Tempus Veritatis deflagrada na quinta-feira 8 pela Polícia Federal.

+ Leia as últimas notícias de Política no site da Revista Oeste.

“Se alguém errou, falhou, foram eles [Polícia Federal]”, disse Bittencourt à Folha de S.Paulo. No vídeo, estariam, segundo a PF, os indícios de Bolsonaro e seus aliados tentariam um golpe. Em razão disso, o ministro Alexandre de Moraes autorizou uma operação de busca e apreensão nos endereços de Bolsonaro e aliados e decretou a prisão de quatro pessoas.

O vídeo da reunião foi encontrado no computador de Mauro Cid, porém, nos depoimentos PF, ele não teria relatado a existência daquela reunião. Também tem sido atribuída a ele a gravação do encontro de Bolsonaro com os ministros. A omissão dolosa de informações para quem aceita fazer delação premiada pode levar à anulação do acordo.

Bittencourt, no entanto, nega tanto que Cid tenha feito agravação quanto que tenha omitido informações nos depoimentos. Para ele, a omissão foi da Polícia Federal, que não fez a pergunta.

“Quando eu sou réu, sou investigado, e a autoridade policial me chama lá para ser ouvido, vou com o meu advogado — o melhor que eu tiver — e vou responder as perguntas que eles me fizeram. Ponto, acabou”, disse o advogado no sábado 10 à Folha. “São anos de fatos, de acontecimentos, de coisas. Como é que eu vou lembrar? Quem tem de perguntar são as autoridades. Se você quer saber, eles fazem um rol de perguntas, centenas delas. Por horas e horas, lá, dando depoimentos. Eu vou lembrar? Vou ter que lembrar de detalhes de uma coisa? Quem tem que lembrar é quem investiga. Chama-se investigação. Eles investigam. Se alguém errou, falhou, foram eles.”

Vídeo de Bolsonaro

Na gravação, Bolsonaro aparece irritado e diz aos ministros: “Nós sabemos que se agente reagir depois das eleições vai ter um caos no Brasil, vai virar uma grande guerrilha, uma fogueira no Brasil”.

Em seguida, afirmou: Agora, alguém tem dúvida que a esquerda, como está indo, vai ganhar as eleições? Não adianta eu ter 80% dos votos. Eles vão ganhar as eleições.”

Bolsonaro também xingou Lula e criticou ministros do STF, incluindo Alexandre de Moraes. O STF tornou o vídeo público e ele pode ser baixado neste link.

Ajude a manter online o Litoral Hoje fazendo uma pequena doação por PIX. Utilize a chave PIX CNPJ 45.315.952/0001-32. Ou deposite na conta: Banco Original – 212 – Agência 0001 – Conta 7296983-0. Agradecemos a sua colaboração.

Fonte: Revista Oeste


Você pode gostar também de