O deputado Heitor Férrer (SD) acredita que a violência se tornou um problema recorrente no Ceará pois não há um combate efetivo em sua causa. Para ele, a pobreza é um fator preponderante que deve ser atacado, não somente pelo Governo do Estado, mas também pelos prefeitos.

Em seu pronunciamento na Assembleia Legislativa, na manhã desta quarta-feira (13), Férrer afirmou que o Ceará possui 51% de sua população na pobreza e um terço vivendo em condições miseráveis. “Não se combate efetivamente as causas da violência no Ceará e algo tem que ser feito. A violência está nas cidades, portanto os senhores prefeitos têm importância enorme na construção de um novo por vir, de um novo tempo, onde todos possam viver mais civilizadamente”.

Ele mostrou números de crescimento da violência nos últimos 15 anos e destacou que houve um desarranjo por parte das instituições públicas, o que fez com que os índices de homicídios estivessem sempre em uma crescente. Isso ocorre, em sua avaliação, pela falta de ataque às causas da violência, através de políticas públicas efetivas.

“Quando se chama a Polícia é porque falhou a moradia digna, a escola, a saúde, falhou o meio ambiente. E diante de todas essas falhas, acham que a Polícia vai resolver, como se a Polícia fosse salvadora. É o indício de que tudo fracassou e agora querem que a Polícia resolva o que o Estado e os municípios não resolveram”.

Para ele, a violência nasce no ambiente familiar quando pai, mãe e filhos “fazem suas necessidades fisiológicas na frente uns dos outros e à noite, quando o pai e a mãe se buscam pela intimidade e os filhos veem”. “Isso é brutal, é humilhante, perverso. E a solução está na política pública”, defendeu.

Segundo Heitor Férrer, 51% da população cearense vive na pobreza e um terço é miserável. “A pobreza que o Ceará tem, que é a metade mais um por cento, e 33% na miséria, leva a esse status quo de violência. E a Polícia não resolve isso, o inquérito não resolve isso, a prisão não resolve isso. Porque a prisão devolve esse cidadão à sociedade com três ou quatro anos sem ele ser ressocializado. Muitas vezes volta pior, porque o sistema não recupera, ele degenera”.

“Diante desse ato de violência de manhã e à noite, sem políticas públicas, não há solução. Muitas vezes essas pessoas se deparam com o Estado pela primeira apenas na forma da Polícia, que prende, leva para um promotor que pede a condenação e um juiz que condena. Tudo isso poderia ter sido evitado com educação, segurança e saúde. Esse tripé é dito como prioridade por todo governante quando candidata e são os piores setores que a sociedade tem” – (Heitor Férrer)

Veja trecho do pronunciamento do deputado Heitor Férrer: