Justiça Militar condena coronel que ofendeu generais durante atos em 8 de janeiro

A Justiça Militar condenou o coronel que ofendeu oficiais generais do Exército e o Alto Comando do Exército durante atos em 8 de janeiro, em Brasília. Segundo decisão proferida nesta quarta-feira, 22, Adriano Camargo Testoni foi condenado a um mês e 18 dias de detenção por postagens ofensivas. A pena deve ser cumprida em regime inicialmente aberto.

De acordo com a denúncia, o militar participou da manifestação na Esplanada dos Ministérios promovida por apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), “registrou dois vídeos em que ultrajava militares superiores hierárquicos e os compartilhou em dois grupos do WhatsApp dos quais os ofendidos figuravam como integrantes”.

Ele foi enquadrado no artigo 216 do Código Penal Militar, que penaliza quem “injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro”. Cabe recurso ao Superior Tribunal Militar (STM).

O coronel da reserva do Exército Adriano Camargo Testoni foi exonerado do Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União (DOU), no dia 10 de janeiro, logo após os atos golpistas na praça dos Três Poderes.

Apesar de estar na reserva, o coronel atuava como assessor da Divisão de Coordenação Administrativa e Financeira do HFA. No vídeo publicado nos grupos de WhatsApp, Testoni ainda defende os terroristas que participavam dos ataques na Esplanada dos Ministérios.

“Covardes. Olha aqui o que está acontecendo com a gente. Olha aqui o povo, minha esposa. Esse nosso Exército é um m*. Que vergonha de vocês, militares”, disse Adriano.

O Antagonista 

Ajude a manter online o Litoral Hoje fazendo uma pequena doação por PIX. Utilize a chave PIX CNPJ 45.315.952/0001-32. Ou deposite na conta: Banco Original – 212 – Agência 0001 – Conta 7296983-0. Agradecemos a sua colaboração.

Fonte: TBN


Você pode gostar também de