O que gasta mais energia: ventilador ou ar-condicionado? Entenda as diferenças

Saber o que gasta mais energia entre ventilador ou ar-condicionado é fundamental com a aproximação de dias mais quentes. Uma onda de calor passa pelo Brasil nesta segunda quinzena de setembro, e isso torna inevitável aumentar o uso dos aparelhos para se refrescar. Neste cenário, é fundamental saber quais são as vantagens e desvantagens dos dois eletrodomésticos e qual deles consome mais energia. Enquanto o ventilador é ideal para a circulação de ar, o ar-condicionado é capaz de resfriar de fato o ambiente, mudando drasticamente a sensação térmica.

Nesta época do ano, temperaturas muito elevadas são atípicas em boa parte do país. Com isso, muitos brasileiros serão impactados pelo aumento do consumo de eletricidade em decorrência do calor excepcional. Pensando nisso, o TechTudo elaborou uma lista com tudo o que você deve saber a respeito do funcionamento e consumo de ventiladores e condicionadores de ar.

Ventiladores são aparelhos projetados para criar circulação de ar em um ambiente. Em sua maioria, são construídos com um motor que converte energia elétrica no movimento mecânico rotacional de pás ou hélices, agindo para empurrar e puxar o ar ao seu redor. Este movimento cria um fluxo de ar direcionado que é expelido para fora do ventilador, com velocidade determinada pela potência de cada modelo.

Existe uma variedade de tipos de ventiladores que possuem finalidades e potências diferentes. Quanto menor o modelo mais localizada é a sua atuação, e por consequência, quanto maior, mais abrangente é o seu alcance. Por exemplo, ventiladores de mesa são compactos e adequados para ventilação pessoal em pequenos espaços. Já os ventiladores de teto podem ser responsáveis pela circulação de ar em um cômodo inteiro.

Ventiladores são aparelhos projetados para criar circulação de ar em um ambiente — Foto: Freepik

Ventiladores são aparelhos projetados para criar circulação de ar em um ambiente — Foto: Freepik

Comparados ao ar-condicionado, ventiladores costumam ser mais econômicos tanto no investimento inicial e de manutenção, quanto no gasto mensal com energia elétrica. A sua operação também pode ser considerada mais silenciosa, uma vez que alguns modelos de ar-condicionado podem produzir um barulho exponencialmente maior. Além disso, ventiladores não apenas circulam o ar, mas também promovem a ventilação natural ao trazer ar fresco do exterior para o interior do ambiente. Isso pode ajudar a melhorar a qualidade do ar interno.

No entanto, ao contrário do ar-condicionado, os ventiladores não alteram drasticamente a sensação térmica de um ambiente. Eles simplesmente movem o ar, proporcionam conforto térmico pela evaporação do suor da pele, mas não resfriam o ambiente de forma eficaz. Em climas extremamente quentes, isso pode não ser suficiente para fornecer conforto.

O ar-condicionado opera por meio de um ciclo de refrigeração que envolve o estreitamento, condensação, expansão e evaporação de um gás refrigerante. Em resumo, o aparelho usa seu sistema interno para sugar o ar do ambiente, para que este entre em contato com o gás refrigerante em estado líquido. Em seguida, o ar, já refrigerado, é devolvido para o cômodo, forçando a queda de temperatura de forma gradativa. Ao contrário do que ocorre com ventiladores, os condicionadores só conseguem funcionar de forma eficiente em ambientes fechados.

Assim como ventiladores, existem diversos tipos de condicionadores de ar, com potências e usos diferentes. As particularidades giram em torno da instalação, design e principalmente a potência que cada modelo pode entregar. Por exemplo, condicionadores de ar tipo janela são construídos em peça única e usados para resfriar apenas um cômodo. Slipts, por outro lado, possuem, em sua maioria, uma potência mais elevada e utilizam um sistema dividido em duas unidades: uma externa e outra interna. Há ainda o ar-condicionado central, que usa um duto de ar para refrigerar grandes áreas.

 ondicionadores de ar são capazes de reduzir significativamente a temperatura do ambiente — Foto: Reprodução/Nokia

Condicionadores de ar são capazes de reduzir significativamente a temperatura do ambiente — Foto: Reprodução/Nokia

Enquanto ventiladores tem como função principal fazer o ar circular, condicionadores de ar são capazes de reduzir significativamente a temperatura do ambiente, tornando-o muito mais eficaz em climas quentes. O uso do aparelho possibilita um ambiente interno agradável, mesmo em dias de calor intenso. Além disso, o sistema de ar-condicionado possui filtros que removem partículas, poeira, alérgenos e poluição do ambiente.

Por outro lado, os sistemas de ar-condicionado, incluindo a compra e a instalação, tendem a ser significativamente mais caros do que os ventiladores. Eles requerem manutenção regular, como limpeza de filtros e inspeções técnicas, para funcionar de forma eficiente. Além disso, eventuais problemas técnicos podem ser caros de reparar.

Apesar do consumo de energia variar bastante de modelo para modelo, sistemas de ar-condicionado costumam gastar muito mais eletricidade do que ventiladores. Isso porque a potência de condicionadores de ar costuma ser 40 vezes maior do que a encontrada em ventiladores, e uma maior potência requer elevada quantidade de eletricidade.

Para se ter uma ideia do gasto de cada um destes eletrodomésticos, o consumo de um ar-condicionado simples de 9.000 BTUs, com potência de 1000 W, gerou um gasto mensal de R$ 113,10. Enquanto isso, um ventilador de teto, com 75 W de potência, representou R$ 8,48. Para esta simulação, foi considerado o valor de R$ 0,754 pelo Kwh e tempo de consumo de 5 horas diárias durante um mês inteiro.

Em resumo, ventiladores geralmente consomem significativamente menos energia do que sistemas de ar-condicionado. No entanto, é importante lembrar que os ventiladores não resfriam o ambiente, apenas resolvem o aquecimento térmico por meio da circulação do ar. A escolha entre ventiladores e ar-condicionado depende das necessidades específicas de resfriamento, das condições climáticas locais, da eficiência energética e das considerações de custo.

Uma das principais formas de economizar energia é justamente unindo o uso dos dois aparelhos. Se você possui um ventilador de teto no mesmo ambiente que o ar-condicionado, pode usá-lo para distribuir o frio de forma mais uniforme. Isso permite que você ajuste o termostato do ar-condicionado para uma temperatura moderada mais alta, economizando energia.

Especificamente em sistemas de ar-condicionado, algumas boas práticas ajudam a reduzir os custos de energia. Por exemplo, limpar filtros periodicamente aumenta a eficiência energética do aparelho, já que a sujeira no local faz com que o sistema trabalhe mais para circular ou ar, o que requer mais energia elétrica. Considere também colocar uma cobertura no seu aparelho, se este estiver exposto ao sol, uma vez que raios solares podem super aquecê-lo, sobrecarregando o sistema. Além disso, você também pode passar a programar para que seu condicionador de ar funcione por um período determinado durante a noite, de forma que o aparelho seja desligado automaticamente enquanto você ainda está dormindo.

Ventiladores também podem ser mais econômicos, caso algumas medidas sejam adotadas. Por exemplo, certifique-se de que os ventiladores de teto girem no sentido anti-horário durante os dias mais quentes. Isso cria uma brisa refrescante que ajuda a sensação térmica, permitindo que você se sinta confortável com temperaturas mais altas. Limpar as pás do ventilador com frequência também ajudam a aumentar a eficiência energética do dispositivo, criando uma brisa mais refrescante. Se o seu ventilador é um modelo mais antigo, considere trocá-lo por um mais novo e eficiente.

Tech Tudo

Ajude a manter online o Litoral Hoje fazendo uma pequena doação por PIX. Utilize a chave PIX CNPJ 45.315.952/0001-32. Ou deposite na conta: Banco Original – 212 – Agência 0001 – Conta 7296983-0. Agradecemos a sua colaboração.

Fonte: TBN


Você pode gostar também de