Força Aérea dos Estados Unidos confirma a perda do segundo bombardeiro stealth B-2, um dos mais avançados e caros aviões de combate do mundo

Imagine uma aeronave tão avançada que coloca medo em muitos países do mundo por causa do seu poder destrutivo, com capacidade nuclear e tecnologia furtiva. Agora, a Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) acaba de perder mais um desses bombardeiros stealth B-2. O que aconteceu com essa peça vital de tecnologia militar?

O bombardeiro B-2, também conhecido como Spirit, é uma aeronave stealth de longo alcance desenvolvida pela Northrop Grumman. Ele é notável por sua capacidade de penetrar profundamente no território inimigo sem ser detectado. O B-2 entrou em serviço em 1997 e é reconhecido por sua forma aerodinâmica peculiar e tecnologia stealth avançada.

Em um relatório de abril, a USAF confirmou que não fará a recuperação do bombardeiro stealth B-2 que caiu após um pouso de emergência em dezembro de 2022. O incidente ocorreu na Base Aérea de Whiteman, no Missouri, onde a aeronave sofreu um incêndio após o pouso. A USAF considerou que a recuperação não é viável economicamente.

Com a perda do segundo B-2 Spirit, a frota de aeronaves de ataque nuclear agora conta com apenas 19 jatos. Originalmente, a Northrop Grumman fabricou 21 bombardeiros B-2 na Fábrica 42, localizada na Califórnia, entre o final dos anos 1980 e o início dos anos 1990. Dos 21 bombardeiros fabricados, 20 foram entregues à Força Aérea enquanto um permaneceu como protótipo para testes, sendo posteriormente entregue também à USAF.

Cada B-2 tem um preço unitário estimado em mais de 4 bilhões de dólares, tornando-o o avião mais caro da história. Essa pequena frota é extremamente valiosa para o Pentágono. Felizmente, os pilotos conseguiram ejetar a tempo, mas a aeronave ficou completamente destruída após pegar fogo. Em 2021, outro incidente ocorreu quando um B-2 saiu da pista em Whiteman após o colapso do trem de pouso direito. Apesar disso, o bombardeiro foi parcialmente recuperado para voar até a Northrop Grumman e passar por uma revisão completa.

A perda de mais um B-2 ocorre em meio ao desenvolvimento do bombardeiro B-21 Raider, também furtivo e em forma de asa voadora. As novas aeronaves da Northrop Grumman seguem os passos do Spirit, sendo fabricadas na Fábrica 42, mas terão um custo significativamente menor e uma configuração versátil. A expectativa é que os B-21 entrem em serviço até o final da década. Até lá, os B-2 restantes continuarão sendo essenciais para a defesa dos Estados Unidos.


Ajude a manter online o Litoral Hoje fazendo uma pequena doação por PIX. Utilize a chave PIX CNPJ 45.315.952/0001-32. Ou deposite na conta: Banco Original – 212 – Agência 0001 – Conta 7296983-0. Agradecemos a sua colaboração.

Fonte: Click Petróleo e Gás


Você pode gostar também de