Família britânica encontra fóssil do que pode ser do maior réptil marinho da história

Uma família de Braunton, na Inglaterra, encontrou fósseis de uma mandíbula com mais de 2 metros de comprimento. O pai, Justin Reynolds, e sua filha, Ruby, que à época tinha 11 anos, viram os primeiros pedaços na Praia de Blue Anchor, em maio de 2020.

+ Leia mais notícias do Mundo em Oeste

Depois de encontrar os restos, eles entraram em contato com o professor Dean Lomax, paleontólogo na Universidade de Manchester.

O pesquisador descobriu que os fósseis pertencem a uma espécie de ictiossauro — um réptil marinho pré-histórico com mais de 25 metros de comprimento. Trata-se do maior já registrado. 

Batizado de Ichthyotitan Severnensis, que significa “peixe-lagarto gigante do Severn”, o animal teria aproximadamente o tamanho de uma baleia-azul.

Os fósseis descobertos pela família britânica são datados de 202 milhões de anos

Os pesquisadores sugerem que os ossos são datados de 202 milhões de anos. O animal é relacionado ao período Triássico, em uma época conhecida como Rética — quando os ictiossauros nadavam nos mares, enquanto os dinossauros caminhavam pela terra. 

O estudo atual compreende que os fósseis descobertos correspondem aos últimos da espécie, antes da extinção.

Leia mais: “Fóssil na China é diferente de qualquer hominídeo já descoberto”

“Quando Ruby e eu encontramos as duas primeiras peças, ficamos muito entusiasmados ao perceber que isso era algo importante e incomum”, explicou Justin Reynolds, ao portal Sky News. “Quando encontrei a parte posterior da mandíbula fiquei emocionado, porque essa é uma das partes definidoras da descoberta anterior.”

Ajude a manter online o Litoral Hoje fazendo uma pequena doação por PIX. Utilize a chave PIX CNPJ 45.315.952/0001-32. Ou deposite na conta: Banco Original – 212 – Agência 0001 – Conta 7296983-0. Agradecemos a sua colaboração.

Fonte: Revista Oeste


Você pode gostar também de