Conflito na Ucrânia deve se prolongar com aumento de produção de armas pela Rússia

O governo da Rússia elevou a produção de armas para superar a Ucrânia. De acordo com analistas, a escala de armamento provavelmente pode sustentar a ofensiva russa na Ucrânia por pelo menos mais dois anos.

Leia mais: “Zelensky classifica como ‘grande erro’ de Lula possível encontro com Putin”

O Kremlin possui uma vantagem em relação ao número de soldados e à capacidade de armá-los com armas antigas, porém, confiáveis. A Rússia ordenou que as fábricas existentes incrementassem a atividade para produzir ou renovar equipamentos de guerra antigos, comprando componentes do Irã, da China e da Coreia do Norte.

“A Rússia não aumentou a produção de seu equipamento moderno de combate”, afirmou o economista russo Nikolai Kulbaka ao jornal Washington Post. “Mas elevou muito a fabricação de armamentos mais simples, como fuzis e projéteis; equipamentos em massa para a massa de soldados.”

Em contrapartida, a ajuda militar do Ocidente para Kiev, capital da Ucrânia, diminuiu nos últimos meses, incluindo a dos Estados Unidos. Por sua vez, a Rússia rearmou suas forças ao reformar equipamentos antigos, muitos da era soviética.

Leia mais: “Otan reage a ataques da Rússia e envia equipamentos de defesa antiaérea à Ucrânia”

As peças de reposição foram fabricadas na China, na Coreia do Norte e no Irã. No entanto, o equipamento, segundo especialistas, é de baixa qualidade.

Rússia aposta em equipamento da era soviética contra a Ucrânia

O equipamento soviético inclui mísseis e bombas aéreas guiadas, como os tanques T-14 Armata. Teoricamente, poderiam entrar em confronto com os Abrams americanos e os Leopards alemães que o Ocidente forneceu para a Ucrânia.

No fim do ano passado, o presidente russo, Vladimir Putin, aprovou um aumento-recorde no gasto militar em 2024, planejando destinar às Forças Armadas cerca de US$ 115 bilhões, quase um terço do orçamento total do país e o dobro do que foi alocado para os militares em 2021, ano anterior à invasão à Ucrânia.

Leia mais: “Vídeo: Ucrânia derruba bombardeiro supersônico da Rússia”

Autoridades russas como o ministro da Defesa, Sergei Shoigu, divulgaram números-recorde. De acordo com os agentes, o complexo industrial-militar quadruplicou a fabricação de veículos blindados, quintuplicou o fornecimento de tanques e elevou em quase 17 vezes a produção de drones e projéteis de artilharia.

Os últimos cascos novos de tanques T-80 foram fabricados décadas atrás. A Rússia, em vez de produzir cascos novos, substituiu os equipamentos que eles continham e recuperou tanques fabricados mais de 50 anos atrás.

Para aumentar o fornecimento, a Rússia fechou um acordo com o Irã para construir uma fábrica no Tartaristão, cerca de 800 quilômetros a leste de Moscou.

Além disso, pressionou por um grande aumento na produção doméstica dos drones-kamikaze Lancet, fabricados por uma subsidiária da gigante da indústria armamentista russa Kalashnikov Concern.

+ Leia mais notícias do Mundo em Oeste

Ajude a manter online o Litoral Hoje fazendo uma pequena doação por PIX. Utilize a chave PIX CNPJ 45.315.952/0001-32. Ou deposite na conta: Banco Original – 212 – Agência 0001 – Conta 7296983-0. Agradecemos a sua colaboração.

Fonte: Revista Oeste


Você pode gostar também de