Brasileiro preso com carne na mala vai para tratamento psiquiátrico na Holanda

A Justiça da Holanda determinou, na quinta-feira 8, que o brasileiro Begoleã Mendes Fernandes, de 26 anos, deveria ser internado compulsoriamente para tratamento psiquiátrico. Em fevereiro de 2023 do ano passado, Fernandes assassinou o também brasileiro Alan Lopes, 21 anos, a quem acusava de ser canibal. O caso ocorreu em Vegastraat, no norte de Amsterdã, capital holandesa.

+ Leia mais notícias de Mundo em Oeste

Fernandes foi preso no dia seguinte ao crime, no Aeroporto de Lisboa. Ele tentava fugir ao Brasil com um documento italiano falso. O assassino carregava na bagagem pedaços de carne que alegava serem de origem humana — posteriormente descartado pela perícia.

Embora as autoridades holandesas tenham reconhecido que Fernandes agiu de modo planejado, levaram em consideração um laudo que revela que o brasileiro tem esquizofrenia. Portanto, ele era inimputável no momento do crime.

O crime ocorreu no apartamento em que Lopes morava com a irmã e a mãe. Conforme o jornal Folha de S.Paulo, o jovem é natural Distrito Federal. Ele estava no país havia sete anos com a família, onde trabalhava em um açougue.

Como ocorreu o assassinato do brasileiro na Holanda

Begoleã Fernandes estava em situação irregular no país europeu. Ele não tinha trabalho nem residência fixa, bem como passava por dificuldades financeiras.

No fim de semana em que ocorreu o assassinato, para ajudar Fernandes a não gastar dinheiro, Lopes o convidou a permanecer em seu apartamento, enquanto suas familiares faziam uma viagem à França.

Em depoimento, Begoleã afirmou que cometeu o crime por considerar que Alan era um canibal. Durante um jantar, Lopes preparou pedaços de carne “suspeita” e teria dito que consumiria partes humanas.

Depois da refeição, ambos foram dormir num cômodo da casa. Enquanto Fernandes permaneceu na sala, Lopes estava no quarto, quando sofreu o ataque de madrugada.

O assassino disse que Lopes fingia dormir, então se sentiu ameaçado. Ele admitiu que entrou no quarto com uma faca, mas afirma que Lopes o atacou antes desferir os golpes contra o rapaz.

De acordo com o canal de notícias AT5, que acompanhou a audiência, Fernandes confessou que estava fora de si durante o crime.

“O segui pelo peito e o esfaqueei na garganta com uma faca”, disse o assassino. “Estava fora de mim naquele momento. Tinha sangue e não era mais eu mesmo. Estava possuído pelo demônio.”

Um laudo no corpo do jovem revelou Fernandes o esfaqueou cerca de cem vezes.

Antes de fugir, Fernandes recolheu pedaços de carne que estavam na casa da vítima. Conforme ele, o objetivo era provar que Lopes consumia tecidos humanos — material apreendido no Aeroporto de Lisboa. De acordo com a polícia holandesa, a carne era de origem animal.

Estêvão Júnior é estagiário da Revista Oeste em São Paulo. Sob supervisão de Edilson Salgueiro

Ajude a manter online o Litoral Hoje fazendo uma pequena doação por PIX. Utilize a chave PIX CNPJ 45.315.952/0001-32. Ou deposite na conta: Banco Original – 212 – Agência 0001 – Conta 7296983-0. Agradecemos a sua colaboração.

Fonte: Revista Oeste


Você pode gostar também de